125. Almir Guineto: “Caxambu”

Olha vamos na dança do caxambu
Saravá, jongo, saravá,
Engoma, meu filho, que eu quero ver
Você rodar até o amanhecer
O tambor tá batendo é pra valer
É na palma da mão que eu quero ver


É estarrecedora a constatação de uma matéria saída há alguns dias no portal G1:

A morte da cantora Beth Carvalho representou mais uma perda de impacto no mundo do samba. Após Dona Ivone Lara, Wilson Moreira, Almir Guineto, Wilson das Neves, Acyr Marques, Mário Sérgio, que se despediram nos últimos anos, foi a vez da ‘Madrinha do samba’ dar o seu adeus nesta terça-feira (30), no Rio, aos 72 anos.

Mal tendo conseguido engolir a morte de Beth, agora me cai a ficha que, mês sim/mês não (ou pelo menos essa é a sensação), temos perdido excelentes sambistas nos últimos anos.

Mário Sérgio, por exemplo, se foi em 2016 e, logo no ano seguinte, seria a vez de Almir Guineto – e os dois integraram o imprescindível Fundo de Quintal, que tive o prazer de assistir ao vivo no ano passado e que, em breve, deve ser tematizado no blog.

Do carioca Almir – que também foi cavaquinista dos Originais do Samba – não há como esquecer de sua “Coisinha Do Pai”, famosa na voz de Beth e conhecida mundialmente por ter sido usado pela Nasa, na então impactante exploração do solo marciano, quando era moleque.

Mas gosto mesmo é do axé do samba “Caxambu”, faixa de abertura do álbum Almir Guinéto (1986), e composto por Élcio do Pagode, Jorge Neguinho, Zé Lobo e Bidubi.

Há diversas características musicais a se ressaltar na composição: a introdução com o intrumento criado pelo próprio Almir (banjo brasileiro), o jogo de repetições entre voz principal e coro, o acompanhamento com palmas (capaz de tirar qualquer um da letargia, nas boas rodas de samba), a menção a duas expressões da musicalidade afrobrasileira (o caxambu e o jongo que, curiosamente, aparecem apenas na letra, mas não nas células rítmicas) e o andamento acelerado com um pulso quebrado (quase que uma mistura de samba enredo com ponto de macumba e partido alto – genial!).

Já a letra é toda energia e desejo de conjunção coletiva, na forma de canto, batucada e dança. Além da saudação “saravá!’, certificamo-nos de estar em território da espiritualidade de matriz africana com a paráfrase de um famoso ponto de Exu, para a abertura de trabalhos na umbanda: “Deu meia noite, o galo já cantou / Na igreja bate o sino, é na dança do jongo que eu vou” – o ponto, originalmente, pode ser cantado como “O sino da igrejinha faz belém-blém-blém / O sino da igrejinha faz belém-blém-blém / Deu meia, o galo já cantou / Seu Tranca-Ruas que é o dono da gira / Oi, corre gira, que Ogum mandou”.

Que energia! E que saudade nos deixam Almir e todos esses bambas…

almir-guineto
Almir Guineto: compositor, intérprete e instrumentista, dos Acadêmicos do Salgueiro para o resto do Brasil.

Existe uma versão alternativa de “Caxambu”, talvez até mais famosa que a original, lançada em 1999, abrindo o álbum também intitulado Almir Guineto (mas, diferente do de 1986, sem a forma acentuada “Guinéto”). O acabamento instrumental é mais elaborado, com flautas e bateria:

No ano seguinte, a coletânea Os melhores de 2000 traria o incrível grupo Molejo defendendo “Caxambu” com a participação do próprio Almir. Batucada de responsa… confira:

Em 2002, o álbum Samba de raiz trouxe o grupo Revelação comandando uma roda de samba também pra lá de animada. “Caxambu” foi tocada com toda a empolgação – afinal, tínhamos ali Almirzinho (Almir Serra), integrante do Revelação, representando o pai:

A curiosidade (e surpresa) fica por conta da versão da rapper Karol Conka que encerra seu álbum de estreia, Batuk freak (2013). Convertida num break, a versão reconstrói “Caxambu”, conectando Karol com suas raízes negras – das quais, é preciso dizer, nunca esqueceu. Ouça:

2 comentários

  1. Me lembro dele cantando no Cassino do Chacrinha,com direito a Chacrete e tudo,sim,eu sou antigo,rs.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s