176. Júpiter Maçã: “Um Lugar Do Caralho”

Eu preciso encontrar
Um lugar legal pra mim
Dançar e me escabelar
Tem que ter um som legal
Tem que ter gente legal
E ter cerveja barata
Um lugar onde as pessoas
Sejam mesmo afudê
Um lugar onde as pessoas
Sejam loucas e super chapadas
Um lugar do caralho


Flávio Basso, mais conhecido como Júpiter Maçã (Jupiter Apple), foi dos grandes expoentes do rock gaúcho, conseguindo sedimentar ao menos uma de suas canções no imaginário para além de terras gaudérias: “Um Lugar Do Caralho”.

Lembro de uma época em que, em São Carlos, era comum ouvir bandas alternativas, em palcos não menos alternativos (como os saudosos Palquinhos da UFSCar e o inesquecível Armazém Bar), tocando a canção que abre o álbum A sétima efervescência (1997).

Trata-se de um rock psicodélico, fortemente baseado em camadas de órgãos. Na letra, um narrador percorre, deslumbrado, as ruas de São Paulo. Uma personalidade desejante à solta na maior selva urbana do Brasil: eis um convite à embriaguez e à celebração dionisíaca da dança e da amizade.

A letra traz uma bela escorregada no português. Ou não? De fato, “Eu preciso encontrar um lugar legal pra mim dançar e me descabelar” é uma incorreção tão grave quanto divertida. Mas dá pra consertar (ou concertar? Ou desconcertar?): “Eu preciso encontrar / Um lugar legal pra mim”. E precisaríamos admitir a ocultação do “pra” no verso seguinte, assumindo também a existência de uma vírgula marota ao final do verso: “Um lugar legal pra mim, / / [Pra] Dançar e [pra] me descabelar”. Agora está tudo bem.

Outro destaque é o adjetivo sulista “afudê”, que muito paulista, quando escuta pela primeira vez, pensa ser um palavrão. Aconteceu com um ingênuo amigo meu, dessa época dos pequenos palcos roqueiros (não revelarei quem é o inocente).

Por conta da temática, há quem pense que “Um Lugar Do Caralho” seja uma composição de Raul Seixas. Na verdade, dizer palavrões gratuitos nunca foi do feitio do Maluco Beleza, que também preferia cumprir na prática uma boa celebração, a abordar o assunto nas canções – a estas, reservavam-se temas por vezes grandiosos, redentores, ou questões existenciais.

jupiter-maca.jpg
Júpiter Maçã, que nos deixou em 2015: psicodelia perto demais das capitais.

A turma do Sul é bastante gregária. Flávio Basso, que tocava com Nei Van Soria no TNT nos anos 1980, evadiu-se do conjunto junto do amigo guitarrista e, com Frank Jorge (conhecido mais tarde pela Graforréia Xilarmônica, de que já falamos aqui), fundaram Os Cascavalletes. É bom lembrar que o TNT constava na lendária coletânea Rock grande do sul (1985), que revelou também Os Replicantes de Wander Wildner.

Pois Wildner, em sua estreia solo Baladas sangrentas (1996), ao lado de diversas faixas que o consolidaram como o inventor do punk brega, incluiu “Um Lugar Do Caralho”. A cover, que é quase tão clássica quanto a versão original, se não tem os característicos órgãos desta, ao menos traz o reforço de um acordeom que acrescenta um toque especial no registro:

Passadas duas décadas, o ex-replicante registrou novamente a canção, num arranjo mais rock n’ roll, em Wanclub (2016). Preste atenção à breve homenagem ao Júpiter e à Graforreia:

E por aí você encontrará muitas versões que, ao contrário da de Wander Wildner, não conseguem escapar à mesmice de emular (como se isso fosse possível) o arranjo original de A sétima efervescência. Não perca tempo! Vá direto a quem entende, nesse caso, o também gaúcho Astronauta Pingüim, que inseriu “Um Lugar Do Caralho” como faixa de abertura de Petiscos: sabor churrasco (2004). O disco traz uma série de regravações do cancioneiro do rock do Sul, mas em versões instrumentais com teclados malandríssimos. Ali, “Um Lugar Do Caralho”, apesar de reverente ao arranjo original, permaneceu divertida e dançante:

4 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s