236. Célia Porto: “Daniel Na Cova Dos Leões”

Aquele gosto amargo do teu corpo
Ficou na minha boca por mais tempo
De amargo, então salgado ficou doce
Assim que o teu cheiro forte e lento


Em 1996, a cantora brasiliense Célia Porto entrou em contato com Renato Russo para viabilizar sua primeira homenagem musical na forma de disco-tributo. O elo entre os dois era o marido de Célia, o maestro e diretor musical Rênio Quintas, ex-presidente do Cuca (Movimento Candango pela Dinamização da Cultura), que tinha sede no Cafofo – bar onde costumavam ocorrer apresentações da primeira banda de Renato, o Aborto Elétrico.

Célia já havia registrado em seu disco de estreia – Célia Porto (1994) – uma canção do líder da Legião Urbana, “Boomerang Blues”. Renato gostou da ideia de ser homenageado e ainda cedeu à cantora, em primeira mão, uma composição que entraria no próximo disco da Legião, A tempestade ou O livro dos dias (1996), “Esperando Por Mim” – uma espécie de testamento musical, em que o compositor se despedia da família e dos amigos, que tanto esperaram por ele.

Mas Renato, que morreu em outubro de 1996, acabou não conhecendo o resultado final da homenagem, que chegou às lojas em 1997. Célia Porto canta Legião Urbana trazia 14 faixas, equilibrando-se entre os sucessos da Legião (“Pais E Filhos”, “Tempo Perdido”, “Eu Sei”) e composições menos badaladas (“Química”, “Os Anjos”, “Maurício”). As canções foram rearranjadas, sendo impossível reconhecer as obras regravadas ouvindo-se apenas os primeiros acordes dos registros de Célia. Ponto para a cantora, que evitou a mesmice ao repisar um repertório conhecido de cor e salteado por milhões de brasileiros.

Embora nem todos os novos arranjos sejam impecáveis, ao menos uma das recriações de Célia rivaliza com a versão original, na minha opinião: “Daniel Na Cova Dos Leões”.

A canção, composta por Renato Russo e o então baixista Renato Rocha, abria o incrível Dois (1986), sendo iniciada por ruídos, simulando o girar do dial em busca da estação ideal. Apareciam, aí, um trechinho do Hino da Internacional Comunista (na parte que, em português, abrange o verso “De pé, ó vítimas da fome”) e o finalzinho de “Será” (nos versos “Brigar pra quê / Se é sem querer”), que abria o álbum anterior da banda.

“Daniel Na Cova Dos Leões” chama a atenção pela forma como rompia, justamente, com o repertório de Legião Urbana (1985). As guitarras distorcidas davam lugar a um riff simples (e a uma espécie de anti-solo, antes da última estrofe ser cantada), havia o acompanhamento de teclados (órgão e piano), o título da canção aludia a uma passagem bíblica e, tematicamente, a crítica social cedia espaço a uma letra confissional.

Com os versos iniciais, mais uma deixa no meio da canção – “Teu corpo é meu espelho, e em ti navego” -, Renato expunha sua homossexualidade, que já não era segredo para a turma de Brasília, mas ainda deixava os fãs com a pulga atrás da orelha naqueles meados de anos 1980. Afinal, no álbum anterior, “Ainda É Cedo” se apresentava como o relato de um fracassado relacionamento heterossexual, e as “meninas” eram mencionadas explicitamente em “A Dança” e “Soldados”. Em “Daniel Na Cova Dos Leões”, a mensagem era cifrada mas, para bom entendedor, meia palavra basta – e a revista Showbizz brincaria, por anos a fio, sobre o que seria “o tal amargo que ficou doce na boca do Renato Russo”.

A versão de Célia Porto exacerbou o caráter íntimo da enunciação exposta por Renato, levando o canto para outras alturas, e sustentando-o sob uma estrutura rearmonizada. O caráter trágico e asseverativo dos versos finais – “Mas, tão certo quanto o erro de ser barco / A motor e insistir em usar os remos / É o mal que a água faz quando se afoga / E o salva-vidas não está lá porque não vemos”, que talvez falem sobre a negação do prazer sexual, mediante o recalque da homossexualidade – é realçado, sem que a cantora necessite se valer de outros recursos para além de seu próprio canto. Na versão da Legião, esse aspecto dramático era sustentado pela interpretação intensa de Renato, mais uma solução também muito interessante, mas no plano musical: a inserção de um tema de piano que, à mão esquerda, levava um bicorde descer cromaticamente do Lá ao Ré.

A cereja do bolo fica por conta da citação incidental a “Será”, com Célia cantando os mesmos versos que se faziam ouvir na gravação que abria Dois. De fã para fã!

celia-porto.jpg
Célia Porto: se arriscando com leituras particulares e inventivas para as canções de Renato Russo.

Na discografia da Legião, “Daniel Na Cova Dos Leões” aparece em três álbuns ao vivo: Música p/ acampamentos (1992), Como é que se diz eu te amo (2001) e As quatro estações ao vivo (2004). A versão do disco de 2001 é esquecível, pela fraca performance vocal de Renato. Os outros lançamentos trazem o registro de uma das noites do show da Legião no Parque Antártica, em 1990. Infelizmente, apesar da boa qualidade sonora devida à remasterização, a versão de As quatro estações ao vivo foi retocada em estúdio, ganhando um novo solo de guitarra. Portanto, fique com a matadora, crua e pesada versão do Música p/ acampamentos, sem redes de segurança e sem maquiagem:

Em 2006, o canal Multishow organizou o tributo Renato Russo – uma celebração, que virou DVD e disco. Coube ao Detonautas Roque Clube defender “Daniel Na Cova Dos Leões”, numa versão pesada e cantada com muito esforço por Tico Santa Cruz. Vale pela homenagem sincera, mas pouco acrescenta à canção:

Em 2010, “Daniel Na Cova Dos Leões” reapareceu em outra homenagem a Renato, o álbum Meu segredo mais sincero, de Leila Pinheiro. Como já dissemos aqui, a cantora paraense mantinha uma amizade íntima com o autor de “Faroeste Caboclo”. Infelizmente, o disco padece de dois problemas: os arranjos, que nem sempre parecem ornar com as canções regravadas; e a inacreditável sobreposição para com o repertório de Célia Porto canta Legião Urbana. Nada menos que oito canções aparecem nos dois álbuns! E o que é mais suspeito: se o álbum de Célia é encerrado por uma versão a capella de “Pais E Filhos”, em Meu segredo mais sincero acontece exatamente o mesmo, mas com “Perfeição”. Tire suas próprias conclusões (e considere que Célia Porto canta Legião Urbana havia sido reeditado, pelo selo Discobertas, exatamente um ano antes do lançamento de Leila). De qualquer forma, vale ouvir a interpretação cool de Leila para “Daniel Na Cova Dos Leões” – de onde vem, aliás, o título de seu disco-tributo:

3 comentários

  1. Parece que Renato Russo gostava de meninos,com eventuais recaídas ao sexo oposto,isto é,uma sexualidade meio difusa e confusa;ou era só um disfarce também,sei lá.
    No último parágrafo,gostei do ”ornar”,bem coisa do interior.

    Curtir

    1. Sabe que, enquanto escrevia, pensei: “Que palavra coloco aqui? Vou usar ‘ornar’, mas acho que ninguém vai entender o significado!” Ainda bem que temos uma fiel audiência interiorana!
      Quanto à sexualidade do Renato Russo, declaração do próprio: “Me considero pansexual, mas sou o que as pessoas chamariam de homossexual”.
      Grato pelo comentário.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s