300. Caetano e Gil: “Desde Que O Samba É Samba”

A tristeza é senhora
Desde que o samba é samba é assim
A lágrima clara sobre a pele escura
A noite, a chuva que cai lá fora
Solidão apavora


Escutei “Desde Que O Samba É Samba”, pela primeira vez, por meio de um arquivo .mp3, num CD recheado desses. Isso porque, naquele início de século (falando assim, nem parece que não foi há tanto tempo assim), havia o costume de se trocar arquivos de música por disquete (o velho floppy) ou CD (o que foi possível com a popularização dos drives de leitura e também de gravação). No caso, os arquivos em questão vieram de Nuno, um moço que realizava alguns trabalhos (hoje o pessoal diria jobs) editoriais e artísticos com meu pai.

Era um CD com gêneros variados, com foco em artistas internacionais, tão diversos como os Beatles, o Motörhead ou o Joy Division. Mas lá estava “Desde Que O Samba É Samba”, que não consegui escutar apenas uma vez: devo ter repetido a faixa por horas e horas.

E, desde aquele dia, posso afirmar: sei o que é o samba. Ao, menos, sei definir. Porque a canção, cantada por Caetano e Gil em Tropicália 2 (1993), sintetiza em cinco minutos exatamente tudo o que o samba representa, o que ele carrega como história e o que ele provoca onde é tocado – principalmente se tiver tocado o coração!

Para além disso, é uma canção muito presente em meu dia-a-dia, principalmente neste quadrimestre, em que leciono História da Educação. Com efeito, percebemos, nas leituras, que diversos dos problemas educacionais contemporâneos possuem raízes milenares. Nessas horas, digo aos pupilos: “Está vendo? Isso é assim desde que o samba é samba”.

Enfim, não há muito mais o que se dizer sobre essa canção perfeita. Só se pode celebrar (ou lamentar, dependendo do ponto de vista) que Gil e Caetano, Caetano e Gil, sejam o ponto mais alto da canção popular brasileira, e desde os anos 1960 não parece florescer ninguém capaz de superá-los.

caetano-gil.jpg
Caetano e Gil: filhos do samba e ponto mais alto da linha evolutiva da canção popular brasileira.

Existem incontáveis versões para “Desde Que O Samba É Samba”. Mas nada supera a emoção de ver Caê e Gil, já septuagenários, cantando juntos novamente esse clássico. Confira a gravação de Dois amigos, um século de música (2016) e se emocione:

2 comentários

  1. Uma das melhores músicas do Caetano Veloso,o compositor definiu muito bem o que o samba representa para os brasileiros.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s