364. Planta & Raiz: “A Planta Que Brota Da Terra”

E se você pensou na liberdade
E Jah já conseguiu te libertar
Então você tá sentindo inferior
Da regueira que tá pra rolar
Ninguém pode prender a natureza
Nem o que ela vem a nos propiciar
E só cantar a canção
Pra bom entendedor
Meia palavra vai bastar


Em certo domingo de 2002, liguei a televisão; passava o Bem Brasil. Parei para assistir ao programa, como de costume, observando que os convidados do dia, na verdade, a banda de abertura, se chamava Planta & Raiz. Achei o nome palosíssimo, e gostei bastante do som, um reggae, com o perdão do trocadilho, raiz. (De fato, o que achei mais curioso, vendo as imagens transmitidas pela TV Cultura, era como o instrumento parecia enorme, desproporcional, nas mãos do guitarrista Fernandinho).

Algum tempo depois, a canção “Com Certeza” estava na boca do povo, ou melhor, da juventude, com seus versos que eram alto astral puro: “Com certeza / Você já se banhou na queda de uma cachoeira / Sentindo a sensação / Da sua alma sendo purificada por inteira”. Apesar de gostar do Cidade Negra, sempre senti a falta de uma pegada mais roots no som da banda de Toni Garrido (que não chegava a ser constrangedoramente pop ao ponto de descaracterizar o pertencimento ao gênero, como no caso do tal Armandinho), pegada que – como provava o hit – estava presente no som do Planta (e de outras bandas bacanas que revitalizaram o reggae brasileiro na virada do milênio, como o Natiruts e a Tribo de Jah, de que já falamos aqui e aqui).

Infelizmente, não cheguei a ver o Planta & Raiz ao vivo (lamentavelmente, perdi a única oportunidade que tive), nem ultrapassei a escuta apenas de suas canções mais antigas. De toda forma, mais de um lokão já se riu, comigo, de uma canção tão bandeirosa quanto o próprio nome do conjunto: “A Planta Que Brota Da Terra”.

Como em boa parte do repertório do conjunto paulista, a obra se compromete com valores positivos, flertando com a auto-ajuda e repetindo o tema de “Com Certeza”: “Se liberte dos maus pensamentos / Tomando aquele banho de mar!”. Aliás, esse comprometimento com tudo que não seja disfórico é, novamente com o perdão do trocadilho, radical; mesmo no espinhoso contexto sobre a legalização da Cannabis, a letra (escrita pelo vocalista Deiver, que também assina a música) prefere defender uma postura pacifista – e repare no tom absolutamente antagônico ao de uma composição, por exemplo, como “Mantenha O Respeito”, do Planet Hemp: “Não vamos mais lutar pra legalizar / Pois estamos cansados / Do ódio e da guerra / Maldita guerra / Não vamos mais lutar pra legalizar / Se a natureza já legalizou / Porque a planta brota da terra / Bendita terra”. Além de bonitos (e gosto muito das oposições substantivas e adjetivas: terra/guerra-bendita/maldita), são versos que, como disse, soam também engraçados.

Realmente, como numa boa piada, a comicidade reside num fato que, posto desde o início nas premissas, é deliberadamente ocultado do ouvinte, até a revelação final. No caso, é de uma absurda obviedade que a planta está aí, brotando e sendo colhida, e onde houver humanidade, haverá consumo. Só não vê quem não quer. No entanto, uma insana cruzada anti-psicotrópicos insiste em alimentar uma guerra da qual ninguém sairá vencedor.

“Maldita guerra”, realmente, Deiver. (E revelem-se os milhares de mortos, anualmente, por conta do álcool, não é mesmo?).

planta-e-raiz.jpg
Planta & Raiz: reggae radicalmente pacifista.

A versão de “A Planta Que Brota Da Terra”, abrindo o post, veio do primeiro álbum da banda, o quase artesanal Que brota da terra (2000). No disco seguinte, Esse é o remédio (2002), a banda registraria novamente a canção em estúdio. O arranjo permanece idêntico, mas a produção é mesmo mais esmerada. Confira:

4 comentários

    1. Já falamos sobre isso aqui no blog. Penso que, enquanto o álcool e o tabaco forem drogas legais, não faz sentido a proibição da Cannabis, muito menos perigosa.
      Mas, claro, o ideal seria não precisarmos de nada disso para sermos felizes, não é mesmo?
      Grato pelo comentário.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s